RONDÔNIA: A EDUCAÇÃO, A PANDEMIA E O JARDINEIRO…

O estado de Rondônia certamente está entre as unidades da federação mais
atingidas pela covid-19, e os números deste início de ano indicam que os
problemas em 2021 podem ganhar uma proporção muito mais grave do que os
fatos do ano anterior. Mesmo assim, ainda existem pessoas que ignoram a
realidade e apresentam propostas completamente absurdas relacionadas com a
grave situação da pandemia no estado de Rondônia. No dia 18 de fevereiro, o
deputado Eyder Brasil protocolou um projeto de lei na Assembleia Legislativa do
Estado que merece ser totalmente abominado por qualquer pessoa que tenha o
mínimo de respeito pela vida e pelos profissionais da educação do estado criado
pelo coronel Jorge Teixeira, militar que é exaltado na biografia do deputado, nos
arquivos da Assembleia Legislativa.
Antes de entrar no mérito da proposta, cabe salientar que nenhuma pessoa em
sã consciência ignora o fato de que a educação é uma atividade essencial. Até
mesmo deputados dos mais medíocres que Rondônia tem conseguem perceber
tal fato. É óbvio que a educação é uma atividade essencial, embora nunca tenha
sido tratada como tal, durante os mais de dois anos de mandato de Eyder Brasil.
Somente agora, neste momento de grave crise sanitária, ele descobriu que a
educação é essencial. A proposta do deputado é tão descabida que certamente
terá o mesmo destino de tantas outras que ele tentou aprovar, mas que foram
arquivadas pela Casa de Leis, justamente porque não tinham nenhum
fundamento. No campo da educação, que Eyder Brasil considera atividade
essencial, não existe absolutamente nenhuma lei que ele tenha proposto até
este momento para melhorar a vida dos profissionais de educação em Rondônia.
A “principal” lei do deputado em 2019, seu primeiro ano de mandato, foi uma lei
que muda o nome de uma ponte sobre o rio Barão de Melgaço, no município de
Pimenta Bueno.
O curioso, no teor do projeto que Eyder Brasil apresentou exigindo a volta às
atividades presenciais nas escolas de Rondônia, é que ele diz, em sua
“justificativa” que tem a “honra” de apresentar o projeto. Ou Eyder Brasil não
sabe o que é honra, ou não sabe o que é educação, ou não sabe o que é
atividade essencial, ou não sabe o que é o respeito pela vida, ou não sabe o que
está fazendo no mandato. Os profissionais de educação merecem respeito!!!
Que honra fajuta!! Certamente Eyder Brasil desconhece o número de
profissionais da educação que morreram em consequência da covid-19, neste
período de pandemia. Centenas de profissionais morreram. Centenas de
profissionais estão entubados, por causa da doença. Centenas de profissionais,
infelizmente, ainda morrerão, se depender de gente como Eyder Brasil. Em mais
de dois anos de mandato, ninguém nunca viu o deputado lutar pela conclusão
do Hospital Regional de Guajará-Mirim, obra prometida pelo governador eleito
com apoio de Eyder Brasil; e totalmente abandonada pelo governo e pelos
deputados. A conclusão do hospital de Guajará-Mirim certamente evitaria a
morte de muitas pessoas. A conclusão do hospital na “Pérola do Mamoré”
evitaria a transferência de dezenas de rondonienses para outros estados, entre
eles profissionais da educação.

Leia também:  Polícia Civil evita cruzo de motocicleta roubada para Bolívia e prende dois assaltantes

O projeto apresentado por Eyder Brasil ignora completamente os números da
covid-19 em Rondônia. Em 2020, 1.817 pessoas morreram no estado, vítimas da
doença. E nos primeiros 50 dias de 2021, 868 morreram. Isto significa que, neste
novo ano, as proporções da tragédia são muito maiores. O projeto de Eyder
Brasil, caso fosse aprovado, contribuiria de maneira significativa para matar
muito mais do que a doença mata hoje. É melhor pensar que dentro da
Assembleia Legislativa deve haver maioria de deputados que respeitam a vida e
os profissionais da educação. Em 2021, não existe nenhuma proposta do
deputado Eyder Brasil cuja finalidade seja melhorar a vida dos profissionais de
educação. Embora o deputado não saiba, é muito difícil um profissional da
educação que não deseja a volta das aulas presenciais, porque o trabalho ficou
muito mais difícil no modelo remoto. E por que ficou mais difícil?? Porque
nenhum deputado cobrou do governo de Rondônia que desse qualquer apoio
aos profissionais para que tenham meios de produzir as aulas remotas. Os
profissionais estão gastando seus parcos recursos com a aquisição de
aparelhos eletrônicos e custeio de gastos com internet, porque o governo
defendido tão bravamente por Eyder Brasil nunca deu nenhum tipo de apoio.
Para Eyder Brasil, a educação é atividade essencial, mas o deputado jamais
considerou essencial que o governo forneça os meios para que a educação seja
desenvolvida pelos profissionais. Em sua biografia, o deputado fala que
trabalhou de jardineiro antes de ser militar do Exército Brasileiro. Eyder Brasil
certamente não é nenhum motivo de orgulho para os jardineiros de verdade,
porque ele é o jardineiro mais insensível de que já se teve notícia.
O deputado Eyder Brasil deveria cobrar das autoridades que os profissionais da
educação fossem incluídos entre os grupos que precisam ser vacinados. A
educação é tão essencial quanto a vacinação. Somente uma pessoa muito
insensível deseja colocar em risco a vida dos profissionais de educação, dos
alunos e das famílias dos alunos. Durante a campanha, Eyder Brasil dizia que
defendia as famílias. Que famílias ele defende?? Os profissionais de educação
não possuem família? Os alunos não possuem famílias ? Os familiares dos
alunos não possuem famílias?? Todas essas pessoas estarão em risco, com a
volta das atividades presenciais. Será que o deputado sabe quantas pessoas
trabalham na educação e fazem parte dos grupos de risco? Já que não possui
nenhum respeito pela vida dos profissionais de educação, Eyder Brasil deveria
se limitar a continuar protocolando na Assembleia Legislativa os projetos que
mudam nomes de pontes, porque esses não colocam em risco a vida das
pessoas que têm a árdua missão de trabalhar na formação da sociedade,
evitando que o poder legislativo do estado se torne um reduto insano de
analfabetos insensíveis… Tenho dito!!!

Leia também:  Jovem de 20 anos que morreu sábado em hospital de Guajará terá morte investigada pela Polícia

FRANCISCO XAVIER GOMES
Professor da Rede Estadual e Jornalista

Fonte:Guajará em Foco

Deixe um comentário