Home / EDUCAÇÃO / Professores mantêm greve em Rondônia, mesmo com multa de R$ 100 mil por dia

Professores mantêm greve em Rondônia, mesmo com multa de R$ 100 mil por dia

Os professores de Rondônia decidiram manter a greve após assembleias realizadas em todo o estado. A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Rondônia (Sintero), Lionilda Simão, informou que decisão de prosseguir com a greve foi unânime.

O sindicato terá que pagar uma multa de R$ 100 mil por dia se os professores continuarem em greve. A determinação foi do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO), após audiência de conciliação realizada na última sexta-feira (16).

Lionilda Simão informou, em entrevista a Rede Amazônica, que a decisão tomada para manter a greve foi unânime. “Aconteceram assembleias em todas as regionais e foi unanimidade permanecer com o movimento após essa decisão na audiência de conciliação, mesmo com a multa pesadíssima”, afirmou a presidente.

Para que a multa seja paga, a categoria pensa em usar o patrimônio adquirido. A categoria vai esperar uma contraproposta da Secretaria Estadual de Educação de Rondônia (Seduc), também determinada pelo TJ-RO. “Esperamos essa contraproposta até sexta-feira (23) com as atividades paralisadas”, finalizou a presidente.

Greve é mantida pelo Sintero em Rondônia (Foto: Maríndia Moura/Rede Amazônica)

Greve é mantida pelo Sintero em Rondônia (Foto: Maríndia Moura/Rede Amazônica)

O secretário estadual do planejamento, Jorge Braga, em entrevista a Rede Amazônica, afirma que o valor de repasse para a educação, determinado em lei, já está sendo feito pelo Governo do Estado.

“O Estado hoje repassa 25.7%, 25.8% do orçamento embasado na legislação. (…) O orçamento é praticamente engessado, e a proposta do Estado [apresentada na última sexta-feira (16)] chegando a R$ 45 milhões a mais na folha é o que o Estado pode dar”, explicou o secretário.

Já sobre contraproposta que deve ser apresentada em até 10 dia úteis, Jorge Braga afirma que o estado já está elaborando. “Nós estamos cumprindo a determinação judicial no prazo, hoje é o primeiro dia útil para o estado refazer esses cálculos. Eu não posso antecipar, porque tem uma equipe de planejamento e de finanças (…) refazendo esses cálculos e tentando verificar o que pode ser feito”, finalizou o secretário.

Audiência de conciliação

Na última sexta-feira (16) foi realizada uma audiência de conciliação da categoria com o Estado no TJ-RO, mas ambos não entraram em acordo. Foi determinado que caso a categoria continuasse em greve deveria pagar uma multa no valor de R$ 100 mil por dia. Foi determinado ainda que a Seduc teria cinco dias úteis para apresentar uma contraproposta para a categoria, prazo que encerra dia 23 de março.

Fonte:G1

Comentários do Facebook

Comentários

Leia também

EXCLUSIVO: EDUCAÇÃO MUNICIPAL PODE ENTRAR EM GREVE NO INÍCIO DO ANO

Depois da saúde, a educação pode entrar em greve. A previsão é logo no início …

%d blogueiros gostam disto: