segunda-feira , fevereiro 19 2018
Home / NOTÍCIAS / TRIBUTO AO “A MÃO AMIGA” Por Aluizio da Silva

TRIBUTO AO “A MÃO AMIGA” Por Aluizio da Silva

Há dias em que você acorda pela manhã cedo e começa a imaginar a situação atual da vida de sua terra, lembrando e analisando o hoje e o ontem. Não se trata de saudosismo, mas de traçar um paralelo entre o que foi e o que é hoje sua terra natal. E diante das circunstâncias atuais um nome me veio a mente: Francisco Nogueira Filho, cujo maior e contundente slogan usado em toda a sua história política foi “A Mão Amiga”.

E não foi um slogan utilizado apenas para captar votos. Era a realidade pessoal e legítima do político, do cidadão, do homem.

Francisco Nogueira Filho, conhecido também como Chico Nogueira ou apenas Chiquinho, era chamada pelos mais humildes, com respeito, de “seu” Chiquinho. Inclusive por mim, a quem tinha grande admiração e respeito.

Esse homem nasceu em Baturité, no Estado do Ceará, em 12 de dezembro de 1934. Migrou para Rondônia em 1954, estabelecendo-se na então Vila de Abunã, de lá saindo em 1956 para vir morar na nossa Guajará-Mirim.

Admirador do esporte, foi um dos fundadores do América Futebol Clube, clube de futebol que foi uma potência na época glorioso de nosso futebol e cuja agremiação presidiu por 3 vezes. Depois ajudou a fundar a Sociedade Esportiva Pérola do Mamoré, outo grande clube e que durante décadas, enquanto durou o apogeu do nosso futebol, rivalizou com o América na condição de melhor de Guajará-Mirim e que presidiu várias vezes. Também foi diretor social do C.R. Vasco da Gama, clube que aqui existiu em décadas distantes, e por 2 vezes foi presidente do Cruzeiro Atlético Clube, que teve um time de futebol de pouca expressão, mas cuja sede social promovia o melhor carnaval de Guajará-Mirim.

No ano de 1974, Chico Nogueira foi eleito presidente da Associação Comercial de Guajará-Mirim e reeleito para a mandato seguinte. Em 1976, foi eleito vice-presidente dessa entidade. Em novembro de 1976, foi eleito vereador e seu mandato durou de 1977 a 1982. Foi vice-presidente da Câmara Municipal de Guajará-Mirim.

Em 15 de novembro de 1982 foi eleito deputado estadual pela legenda do PDS – Partido Democrático Social. Foi deputado constituinte e trabalhou na elaboração da primeira Constituição do Estado de Rondônia. Em 15 de novembro de 1988, foi eleito prefeito de Guajará-Mirim, tendo ocupado o Palácio Pérola do Mamoré de 1989 a 1992.

Durante toda a sua história política sempre valorizou a Educação e a Cultura, sem descuidar de áreas também importantes como a Saúde e a Infraestrutura. Dentre as grandes obras de sua administração estão a duplicação do leito da mais importante avenida de Guajará-Mirim, a 15 de Novembro.

Sua administração, apesar de todas as dificuldades e a crise por que passava o país, e mesmo sem a devida ajuda do Governo do Estado, ele criou a Escola Profº. Salomão Silva, no bairro da Liberdade. E mais: nas áreas rural e ribeirinha criou cerca de 29 escolas para atender as

crianças dessas localidades. Também em sua administração foi criada e implantada a Área de Livre Comércio, que era o grande sonho do povo na época.

Criou a Guarda Municipal, implantou o Trevo da Cidade, criou o bairro Nossa Senhora de Fátima, distribuiu mais de 1.000 terrenos às famílias carentes nos bairros Santa Luzia, Santo Antônio, Planalto, Liberdade, 10 de Abril e, principalmente, no Jardim das Esmeraldas.

Uma de suas mais importantes e sonhadas obras, no entanto, a construção do Complexo Cultural, foi por ele iniciada, mas seus sucessores não deram andamento ao projeto e hoje a Biblioteca Pública Municipal Jarbas Passarinho, que foi orgulho da população, hoje encontra-se entregue “às baratas”, o mesmo acontecendo com o tradicional Centro Cultural Dr. José Cardoso Alves.

Francisco Nogueira Filho, depois de deixar Guajará-Mirim voltou a viver no seu estado Natal, o Ceará, mais precisamente em Fortaleza. Ai, aos 83 anos de idade, veio a falecer em 23 de outubro de 2017.

Depois do político “Mão Amiga” não apareceu outro sequer parecido. Tem aparecido em nossos meios os “Boca Amiga”, aqueles que falam muito para iludir o povo, mas de positivo nada fazem.

Eu, que tive o prazer de ser seu assessor na Assembleia Legislativa de 1984 a 1986, e depois seu secretário de Planejamento e também de Administração na Prefeitura de Guajará-Mirim, nos anos de 1991 e 1992, rendo eterna gratidão a este homem que cumpriu sua missão na terra e foi sempre servidor e humilde————————————————–. Aliás, a humildade foi sua grande marca durante toda a sua trajetória terrestre.

Descanse em paz, Chico Nogueira. Tenho absoluta certeza de que Guajará-Mirim e seus filhos jamais te esquecerão.

Administrador de Empresas, Jornalista e Radialista. Membro-fundador da Academia Guajaramirense de Letras (AGL).

Fonte:Guajara em Foco

Comentários do Facebook

Comentários

Leia também

Enchente histórica não repetirá em 2018, informa SIPAM aos Municípios

Com o chamado “Inverno Amazônico”, que ocorre até o mês de abril, as chuvas deverão ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: