Home / ESPORTES / Atletas revelados em escolinha de Guajará-Mirim-RO disputam Paranaense de base

Atletas revelados em escolinha de Guajará-Mirim-RO disputam Paranaense de base

Atlético Cambé, de Londrina-PR, tem sete jogadores de Guajará-Mirim nos elencos sub-17 e sub-20 em busca de espaço e profissionalização.

Sete jogadores juvenis revelados no interior de Rondônia buscam espaço em Londrina, PR, onde disputam atualmente o Campeonato Paranaense das categorias de base. Os atletas, todos nascidos e moradores de Guajará-Mirim, conseguiram passar nas seletivas do Clube Atlético Cambé e sonham com a profissionalização, além de vestir a camisa de um grande clube da Série A.

O lateral esquerdo Juninho, de 16 anos, e também os meio campistas Leandrinho, de 15 anos, e Luan, de 16 anos, além dos atacantes Bruninho, de 16, Thaylan, de 17 anos, Adriel, também de 16 anos, e o mais velho, André, de 18 anos, sabem que o caminho para o sucesso não é fácil, por isso, encaram a experiência no clube paranaense como a chance de suas vidas, além de representarem com orgulho o estado onde nasceram.

Revelação dos atletas

Os garotos com idade entre 15 e 18 anos foram descobertos pelo projeto social desenvolvido pela Escolinha de Futebol Meninos da Pérola, que atende cerca de 100 crianças e adolescentes de famílias de baixa renda em Guajará-Mirim.

O time tem elencos nas categorias sub-9, sub-11, sub-13, sub-15, sub-17, sub-20, sub-23 e ainda um time principal adulto que disputa as competições amadoras no município.

Apesar de não ser federada na Federação de Futebol do Estado de Rondônia, FFER, a escolinha conseguiu firmar uma parceria com o clube paranaense e abriu uma porta para que os atletas um dia pudessem receber uma oportunidade fora do estado.

O idealizador do projeto e técnico dos Meninos da Pérola, Hugo Nunes, diz que a formação de um jogador de futebol passa por vários níveis até que o garoto esteja preparado para receber uma oportunidade.

– A cada dez meninos, nove querem ser jogadores de futebol, por isso tive a ideia de criar o projeto e dar uma chance para que eles possam tentar realizar o sonho, mas acima de tudo visamos formar homens e cidadãos de bem. Os jogadores que já estão no Paraná foram trabalhados durante meses, quando finalmente chegaram a um nível razoável, os encaminhamos para o Paraná, onde cada um busca seu espaço no futebol – disse o treinador.

Da esquerda para direita: Luan, Leandrinho e Adriel em ação com a camisa do Atlético Cambé no Campeonato Paranaense sub-17 (Foto: Luan Lins/ Arquivo pessoal) Da esquerda para direita: Luan, Leandrinho e Adriel em ação com a camisa do Atlético Cambé no Campeonato Paranaense sub-17 (Foto: Luan Lins/ Arquivo pessoal)

Sonhos, metas e adaptação ao futebol paranaense

Felizes pela chance recebida no futebol paranaense, os juvenis falam dos sonhos, metas e adaptação nessa nova trajetória de suas vidas. Cada um deles comentou o que está achando da experiência e o que espera daqui para frente.

Juninho

Polivalente, o lateral joga do lado direito e esquerdo na categoria sub-17, além de atuar como volante e também de atacante. A versatilidade do jogador agradou a comissão técnica do Cambé, que o manteve no elenco após os testes iniciais em janeiro deste ano.

– Jogo em várias posições, mas me adaptei melhor na ponta esquerda ou de lateral. Espero melhorar a cada e chegar mais longe ainda – declarou o jovem.

Adriel

De personalidade forte e estilo driblador, o atacante sub-17 chegou ao Paraná pensando em alcançar grandes resultados.

– Quando cheguei o meu físico estava abaixo do nível do elenco do clube, mas comecei a trabalhar e cheguei ao mesmo nível dos caras. Espero fazer muitos gols e ganhar meu espaço – diz o goleador.

Leandrinho

Com apenas 15 anos, o meia Leandrinho era apontado como uma das principais promessas dos Meninos da Pérola e aos poucos vai conquistando seus objetivos no esporte.

– O professor sempre confiou muito em mim, mas eu me vejo como um jogador normal com um pouco de visão de jogo e qualidade no passe. Aqui aprimorei muito meus pontos fortes – disse o caçula do grupo.

Bruninho

Filho do ex-volante do Guajará Esporte Clube, Ronildes, o atacante Bruninho já nasceu com o futebol nas veias. Aos 16 anos, recebe pela primeira vez a chance de mostrar seu potencial.

– Minha família me apoia incondicionalmente, estou feliz com isso. Muita gente ainda vai ouvir falar de mim, minha história está só começando – falou em tom de confiança.

André

O mais velho do grupo, com 18 anos, o atacante André foi uma aposta arriscada por já ter uma idade avançada para as categorias de base, mas no fim acabou convencendo o time paranaense que merecia ficar e ter uma chance na categoria sub-20.

– Se tivesse vindo mais cedo creio que estaria melhor, mas isso não tira a importância de conquistar a cada dia um sonho que antes era tão distante. Treinei muito pegado para estar aqui, vou mostrar para todos que posso chegar mais longe, onde nunca imaginaram – relembra.

Luan

Irmão do meia Leandrinho, o volante Luan, de 16 anos, viveu momentos de desânimo a alguns meses atrás, quando praticamente largou o futebol. Ao ver que o irmão caçula foi embora, o defensor viu que também poderia seguir o mesmo caminho e retornou aos treinos mais forte do que nunca.

– Voltei e voltei para brilhar. Estou feliz por jogar com meu irmão e por estar com meus amigos de infância, aqui um ajuda o outro e não deixamos ninguém cair – contou.

Thaylan

Apontado como craque desde que era criança, o atacante Thaylan, de 17 anos, saiu da Escolinha Meninos da Pérola como a principal revelação já feita no projeto. No Paraná se adaptou rapidamente e ganhou a titularidade na equipe sub-17.

– Meu sonho sempre foi ser jogador profissional de futsal, mas percebi que no futebol de campo me adaptei muito bem porque meus dribles curtos eram úteis. Com mais espaço eu melhorei meu rendimento e estou completamente adaptado. Meu sonho agora é crescer no futebol e ajudar minha família, não tenho limites, vou até onde Deus me levar – finalizou ele.

Os sete juvenis estão morando no próprio clube e também estudam em escolas estaduais do Paraná, tudo em horários conciliados para não prejudicar os rendimentos nos treinos e no ano letivo. A expectativa deles é de fazer uma boa temporada com o Atlético Cambé e garantir o seguimento da carreira até chegar à profissionalização, que é o objetivo dos jovens sonhadores.

Fonte: GLOBO ESPORTE/JUNIOR FREITAS

Comentários do Facebook

Comentários

Leia também

Globo Esporte

Fonte:Globo Esporte Comentários do Facebook Comentários

%d blogueiros gostam disto: