Home / NOTÍCIAS / Sobrevivente filma queda do avião no Rio Catrimani, em Roraima/RR

Sobrevivente filma queda do avião no Rio Catrimani, em Roraima/RR

O técnico em enfermagem , Ednilson Cardoso, 28 anos, filmou a tentativa de pouso do pequeno avião da empresa Paramazonia que caiu no rio Catrimani em Caracaraí. Ednilson sobreviveu ao acidente que aconteceu na semana passada e matou o piloto, o Elcides Rodrigues Pereira, mais conhecido como “Peninha”

No vídeo, é possível ver o momento em que o piloto avisa que vai pousar o avião no rio Catrimani, e mostra quando Peninha diz via rádio que vai desligar pois terá que pousar.

O video mostra todos os momentos que antecedem ao pouso do avião. O enfermeiro teve a impressionante calma para filmar os momentos antes do acidente, e ainda narra que ambos estão “caindo” mas logo após a queda, a filmagem é encerrada. O piloto sobreviveu a queda do avião mas morreu durante um resgate feito pela própria empresa.

Assista ao vídeo impressionante.

Piloto continua desaparecido e sobrevivente relata negligência

A queda de uma aeronave de pequeno porte da empresa de táxi aéreo Paramazônia ocorrida na tarde de quarta-feira, 14, que deixou um enfermeiro ferido e o piloto desaparecido no rio Catrimani, região de Caracaraí, centro-sul de Roraima, ainda está tendo desdobramentos.

Na manhã de ontem, 15, a reportagem da Folha conversou com o sobrevivente, o técnico em enfermagem Ednilson Cardoso, de 28 anos. Ainda muito abalado, ele deu detalhes do acidente e afirmou que houve negligência durante o resgate dele e do piloto da aeronave, que foi identificado como Elcides Rodrigues Pereira, mais conhecido como “Peninha”.

“A gente tava com uma hora de voo e uma das hélices da aeronave quebrou. Vínhamos planando sem lugar para pousar e fomos chegando próximo ao rio e o comandante gritou que estávamos caindo. Ele começou a passar as coordenadas de onde iríamos cair, fez a volta e batemos na água, foi quando o avião virou e as portas travaram”, disse.

No momento da queda, Ednilson contou que o piloto se desesperou e parecia não saber nadar. “Na hora o piloto se desesperou, mas mantive a tranquilidade, dei um chute na janela e empurrei-o para fora. Subimos juntos na asa do avião e perguntei se ele sabia nadar, e ele disse que sim. Pulamos para ir para a margem, mas quando olhei para trás ele já estava se batendo na água, aí eu voltei, pulei, passei por debaixo dele, peguei na camisa e joguei-o para a margem e ele caiu cansado”, narrou.

Depois de terem chegado à margem do rio, o técnico em enfermagem e o piloto ficaram aguardando o resgate. “O avião tinha engatado em uma tora de madeira, mas com a correnteza forte estava querendo submergir, o que iria atrapalhar nosso resgate. Fizemos um local para descansar na margem, porque ali é uma região de muita onça e estávamos cansados, e comemos algumas frutas que tinham lá”, contou.

Foi justamente no momento do resgate que, segundo Ednilson, o piloto desapareceu. “O dono da empresa mandou o helicóptero para resgatar a gente. Jogaram a corda, nos amarramos e subimos. Subi na frente do piloto e fui puxando ele, mas como ele estava cansado não aguentava segurar e caiu na água. Ele começou a se debater e como a correnteza estava forte foi levando ele. O helicóptero baixou e pulei de volta no rio, mas o piloto já tinha sumindo”, relatou. O técnico de enfermagem foi removido para Boa Vista, onde recebeu atendimento médico no Hospital Geral de Roraima (HGR) e passa bem, apesar de estar emocionalmente abalado.

Só após a tentativa de resgate do piloto e do passageiro, a empresa Táxi Aéreo Paramazônia pediu ajuda do Corpo de Bombeiros. A Secretaria de Comunicação Social do Governo do Estado informou que o Corpo de Bombeiros só foi acionado para atender ocorrência relacionada ao assunto na madrugada de ontem.

OUTRO LADO – A Táxi Aéreo Paramazônia foi procurada para se manifestar sobre a denúncia do técnico em enfermagem e o andamento da ocorrência. Por telefone, um dos proprietários disse que a empresa só irá se manifestar quando houver alguma novidade sobre o caso.

ATUALIZADA – Corpo de piloto é encontrado três dias depois de desaparecer no Rio Catrimani

Quase 72 horas depois de cair no Rio Catrimani, durante um resgate malsucedido, o corpo do piloto Elcides Rodrigues Pereira, de 64 anos, conhecido como “Peninha”, foi encontrado por homens do Corpo de Bombeiros por volta das 10h do sábado, 17, boiando e preso às galhadas na margem do rio, já em estado de decomposição. Ele foi removido para a base da Missão Catrimani, região norte do Estado, na Terra Indígena Yanomami, no Município de Caracaraí, onde fica a pista de pouso e decolagem de aviões. De lá seguiu para Boa Vista, chegando à Capital às 16h20.

Matéria:Folhaweb

Comentários do Facebook

Comentários

Leia também

Campanha vem sendo realizada para translado do corpo de estudante brasileiro que morreu na Bolívia

Amigos do jovem brasileiro Marllon Almeida Campos da Silva, 20 anos, que morreu no último ...

%d blogueiros gostam disto: