Home / REGIONAL / Entenda como foi a operação da PF e DEPEN contra líderes do crime na Penitenciária Federal de Porto Velho.

Entenda como foi a operação da PF e DEPEN contra líderes do crime na Penitenciária Federal de Porto Velho.

A Polícia Federal (PF) e o Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) realizaram na manhã de hoje (24) uma operação conjunta na Penitenciária Federal de Porto Velho (PFPV), visando cumprir mandados de mandados de busca e de apreensão contra membros de uma facção criminosa que atua no Rio de Janeiro. Um dos alvos da ação foi o preso Luiz Fernando da Costa, o “Fernandinho Beira-Mar”, condenado por tráfico de drogas e diversos outros crimes. A operação surgiu a partir da apreensão de bilhetes, feita por Agentes Federais de Execução Penal em celas da PFPV. As ordens de prisão foram contra Beira-Mar e outros presos da PFPV.

De acordo com a direção da unidade, os bilhetes foram apreendidos nas revistas diárias que são feitas pelos agentes – inclusive no lixo – na unidade prisional de segurança máxima. O material apreendido foi encaminhado à Polícia Federal, que a partir de então iniciou um trabalho de investigação contra os membros da quadrilha que estão presos e contra aqueles que ainda estavam em liberdade. A ação policial ocorreu simultaneamente em Porto Velho e em outras cidades do Brasil, com ordens de busca e apreensão e de prisão. Às 15h de hoje, a PF e o DEPEN darão mais detalhes em entrevista coletiva, na sede da PF em Porto Velho (RO).

RIGOR NA SEGURANÇA

As Penitenciárias Federais são reconhecidas pelo seu rigor e segurança, sendo consideradas pelos especialistas como as mais seguras do mundo. Equipamentos modernos como detectores de metais e de outras substâncias ilícitas são utilizados em diversos postos de segurança das prisões federais. Além disto, todo o trabalho dos agentes federais é acompanhando por mais de 250 câmeras de vigilância. O armamento utilizado para a segurança interna e externa das prisões é dos melhores. Tamanho rigor é fundamental para o resultado do Sistema Federal: sem fugas, entradas de celulares ou drogas e sem rebeliões.

LEGISLAÇÃO FALHA

Cristiano Torquato, diretor da Penitenciária Federal de Porto Velho, reforça o rigor nos procedimentos de segurança do Sistema Penitenciário Federal e frisa que não existe vulnerabilidade nos procedimentos de segurança que são adotadas nas unidades. No entanto, reconhece que o grande problema enfrentado hoje reside legislação brasileira, que garante aos internos o direito às visitas sociais e íntimas. “Isso acaba favorecendo os líderes das facções criminosas que se utilizam indevidamente deste direito para tentar burlar a vigilância, passando mensagens através dos seus visitantes, muitas vezes obrigados a colaborar”.

MAIS RIGOR NO SPF

O problema gerado pelas visitas tem provocado outras instituições, como magistrados federais que atuam na Execução Penal das prisões federais. Os juízes reconhecem que a legislação tem favorecido a ação das facções criminosas, já que possibilita a passagem de mensagens pelos líderes através dos seus visitantes. Em virtude disto, já existe uma proposta que visa restringir o contato dos internos com os seus visitantes. Elas seriam monitoradas, a exemplo do que já ocorre nos atendimentos feitos pelos advogados. A medida afetaria presos com mau comportamento, que conversariam com suas visitas apenas por telefone, em parlatório.

Fernandinho Beira mar foi transferido da penitenciária de Porto Velho para outra em outro estado

 

Fonte: Comunicação Penitenciária Federal – Porto Velho

G1

Comentários do Facebook

Comentários

Leia também

Demônio aparece em foto de acidente após destruição em São Paulo

Uma imagem de um grave acidente na cidade de Parelheiros (SP) está repercutindo pela internet ...

%d blogueiros gostam disto: