Home / SAÚDE / Secretário Municipal de Saúde, Preocupado com o Alto índice de casos de conjuntivite ensina como evitar e tratar a conjuntivite

Secretário Municipal de Saúde, Preocupado com o Alto índice de casos de conjuntivite ensina como evitar e tratar a conjuntivite

O calor, o suor e o tempo seco do verão criam uma condição favorável para o aparecimento e a disseminação da conjuntivite, inflamação na membrana que reveste a parte frontal dos olhos e o interior das pálpebras.

Para  esclarecer o que é essa doença, quais são os sintomas e como preveni-la ou tratá-la, a redação do Guajará em Foco  procurou na manhã desta quarta-feira (24), o senhor Elias Palhano Neto Júnior secretario municipal da saúde para falar sobre o caso, em entrevista com o secretário municipal de Saúde, foi esclarecido à nossa redação que:  A conjuntivite dura, em média, até 15 dias e é caracterizada por dor, coceira, vermelhidão e secreção nos olhos.

Os tipos mais comuns são o viral, o bacteriano e o alérgico. Segundo Castro, o viral é o mais agressivo e de fácil propagação. É o que está atingindo boa parte da População na região.  A inflamação se espalhou por toda a cidade e tem infectado moradores – e ao que tudo indica, a doença tem infectado várias pessoas desde o inicio do ano em Guajará-Mirim.

De acordo com o secretário de saúde do município, Elias Palhano Neto Júnior a infestação da doença é causada através de objetos de uso comum, como telefone, controle remoto, sabonete e toalhas, o qual aumentam as chances de avanço do vírus ou da bactéria. Para o tratamento, é recomendado um cuidado mais intenso com a higiene pessoal, como o emprego de colírios, compressas, álcool em gel, lenços de papel, toalhas e roupas de cama individuais. Lavar as mãos com frequência também ajuda. Além disso, é indicado o isolamento temporário do contato social.

O aspecto vermelho dos olhos nos três tipos de conjuntivite é mais ou menos parecido. O que ajuda a diferenciá-los são os sintomas. No viral, além da vermelhidão e do inchaço característicos, há a sensação de areia ou corpo estranho e um forte lacrimejamento. Esses sintomas leva até duas semanas para o paciente melhorar e, dependendo da gravidade, pode deixar sequelas na córnea e atrapalhar a visão. O tratamento é à base de compressas com água fria e, eventualmente, colírios lubrificantes.

No tipo bacteriano, a secreção e o inchaço são mais intensos. Também há vermelhidão, mas o lacrimejamento não é tão frequente. Dura, em geral, uma semana. O tratamento é feito com colírios e antibióticos.

Na conjuntivite alérgica, o paciente sente coceira intensa e muito inchaço. A vermelhidão e o lacrimejamento não são tão proeminentes quanto nos outros tipos.

O tempo de duração é variável e para o tratamento é importante afastar a pessoa do agente que causa a alergia como maquiagem, perfume, poeira e pólen, entre outros.

Há ainda, um quarto tipo da inflamação, menos comum: o tóxico, causado por fatores externos como substâncias químicas, cloro, fumaça de cigarro ou poluição. 

De acordo com informações da SEMUS  em Guajará-Mirim , não há um número oficial de casos de conjuntivite por ano no município, já que a doença não é de notificação obrigatória, como ocorre com a dengue. Mas é importante ficar atento, porque, se não for prevenida, pode provocar uma epidemia e levar à ausência de pessoas no trabalho, na escola e em outros compromissos sociais.

A inflamação acontece com mais frequência durante o verão, mas são registrados casos em todas as épocas do ano. Piscinas não tratadas, lagos e a água do rio podem ser meios de transmissão, dependendo da contaminação da água. A secreção nos olhos funciona como um veículo para o contágio – por isso, essa costuma ser a fase mais preocupante. 

Saiba como se prevenir e tratar a doença. 

O QUE É CONJUNTIVITE?

A conjuntivite é uma doença que se caracteriza pela inflamação da conjuntiva, causada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus. A conjuntiva é a membrana transparente que recobre o globo ocular e a parte interna da pálpebra. A conjuntivite viral é altamente contagiosa, frequente no verão, e apesar de não ser grave provoca muito incômodo e alguns cuidados devem ser tomados para que não se transforme em epidemia.

Geralmente compromete os dois olhos, não necessariamente ao mesmo tempo, sendo o contagio feito pelo contato direto com a pessoa doente ou objetos contaminados. Esta contaminação ocorre com maior facilidade em ambientes fechados como escolas, creches e ônibus.

SEUS PRINCIPAIS SINTOMAS 

Os principais sintomas da conjuntivite são: 
Olho vermelho e lacrimejante;
Inchaço nas pálpebras;
Intolerância à luz;
Visão embaçada;
Visão borrada.

A secreção da conjuntivite viral é mais esbranquiçada, em pequena quantidade e demorando aproximadamente 15 a 20 dias para desaparecer com tratamento adequado. A secreção da conjuntivite bacteriana é mais amarelada e abundante.

Demora de 5 a 7 dias para desaparecer com tratamento adequado.

TRATAMENTO 

Não existe tratamento específico para conjuntivite viral. Para diminuir os sintomas e o desconforto pode-se utilizar soro fisiológico gelado e compressas sobre as pálpebras, limpar os olhos com frequência, ou ainda, usar colírios lubrificantes e lágrimas artificiais.

Algumas medidas podem ser tomadas para se evitar a propagação da conjuntivite viral:

Lave suas mãos com frequência.
Não coloque as mãos nos olhos para evitar a recontaminação.
Evite coçar os olhos para diminuir a irritação da área.
Lave as mãos antes e depois do uso de colírios ou pomadas.
Ao usar, não encoste o frasco do colírio ou da pomada no olho.
Evite a exposição à agentes irritantes (fumaça) e/ou alégenos (pólen) que podem causar a conjuntivite.

Não use lentes de contato enquanto estiver com conjuntivite.
Não use lentes de contato se estiver usando colírios ou pomadas.
Não compartilhar lençóis, toalhas, travesseiros e outros objetos de uso pessoal de quem está com conjuntivite;
Evitar piscinas.

É importante que haja o acompanhamento do oftalmologista para um diagnóstico preciso e tratamento adequado. A conjuntivite bacteriana deve além desses cuidados, usar colírios e antibióticos prescritos somente pelo oftalmologista.

PREVENÇÃO 

É difícil prevenir-se das conjuntivites, mas algumas medidas podem diminuir o risco de você adquirir uma conjuntivite, que são:

Não use maquiagem de outras pessoas (e nem empreste as suas).
Evite compartilhar toalhas de rosto.
Lave as mãos com frequência e não coloque-as nos olhos.

Use óculos de mergulho para nadar, ou óculos de proteção se você trabalha  com produtos químicos; Não use medicamentos (pomadas, colírios) sem prescrição (ou que foram indicados para outra pessoa). Evite nadar em piscinas sem cloro ou em lagos.

Fonte: Guajará em Foco

Comentários do Facebook

Comentários

Leia também

NIESSUS capacita Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Endemias, em Guajará-Mirim

A abertura da capacitação ocorreu na manhã de segunda-feira, 21, contando com a presença do ...

%d blogueiros gostam disto: