Home / NOTÍCIAS / Ouro Preto: Polícia Civil prende médico que atropelou duas mulheres e não prestou socorro

Ouro Preto: Polícia Civil prende médico que atropelou duas mulheres e não prestou socorro

A Polícia Civil da Estância Turística de Ouro Preto do Oeste prendeu, na tarde desta segunda-feira (3), o médico que havia atropelado, com uma Toyota Hilux, duas mulheres na noite do último sábado (1°) e não teria prestado socorro. O preventivado foi localizado em sua residência, situada no bairro União.

A ação, sob o comando dos delegados de Polícia Civil, Roberto dos Santos da Silva e Julio Cesar de Souza Ferreira, cumpriu o mandado de prisão preventiva contra o médico Leno Fagner Maltezo, e iniciou-se nas primeiras horas desta segunda-feira.
No transcorrer das investigações, o médico passou a ser o principal suspeito de ter atropelado as vítimas de 18 e 31 anos e de ter arrastado a motocicleta da condutora por mais de 200 metros pela avenida Daniel Comboni, no centro da cidade. O fato foi comprovado por imagens de câmeras de videomonitoramento e por testemunhas que afirmaram ter visto Leno dentro do veículo.

De acordo com Julio, a preventiva foi concedida em decorrência da grande repercussão que o caso obteve junto à sociedade ouropretense, que ficou abalada e com sensação de impunidade. O delegado também relatou que a alta velocidade da caminhonete e o fato de o investigado não ter se preocupado se alguma das vítimas estaria presa junto à motocicleta que foi arrastada contribuíram para que o Poder Judiciário expedisse o mandado.

O delegado Roberto explicou que aguardou até o final do expediente para que o médico se apresentasse voluntariamente e entregasse o veículo envolvido no atropelamento, o que não ocorreu. Por esse motivo, conseguiram um mandado de prisão preventiva e busca e apreensão junto ao Poder Judiciário em desfavor do investigado.

Julio relatou que o médico deu sua versão dos fatos, confirmou que estava conduzindo a caminhonete, mas que não foi sua intenção ter causado o acidente e tampouco o atropelamento. Justificou que estava sob efeito de medicamento e que não teria visto as vítimas.

“O delegado Roberto é quem irá relatar este inquérito policial e poderá manter o indiciamento por homicídio tentado, popularmente conhecido por tentativa de homicídio. Ou, no transcorrer das investigações, poderá desclassificar e, ao final, indiciá-lo por tentativa de homicídio culposo, quando não há culpa”, finalizou o delegado Julio.

Após ser ouvido na presença do advogado, Leno Fagner Maltezo foi conduzido até a Casa de Detenção de Ouro Preto do Oeste, onde aguardará à disposição da Justiça.

Entenda o caso

Médico atropela duas mulheres e não presta socorro, em Ouro Preto do Oeste

Duas mulheres de 18 e 31 anos, em uma motocicleta, foram atropeladas por uma caminhonete de cor preta, conduzida por um médico que não teria prestado socorro às vítimas. O imprudente fato ocorreu na noite deste último sábado (1°), na rua Getúlio Vargas com rua Ciro Escobar, bairro União, no município da Estância Turística de Ouro Preto do Oeste.

As vítimas relataram à polícia que seguiam em uma motocicleta Yamaha Factor YBR pela rua Getúlio Vargas, sentido avenida Daniel Comboni e Bosque Municipal, quando uma caminhonete de cor preta que seguia pela rua Ciro Escobar entrou em alta velocidade pela rua Getúlio Vargas, no sentido avenida Daniel Comboni, vindo a atingir a motocicleta e as duas ocupantes.

Testemunhas que identificaram o condutor apenas como sendo um suposto médico que trabalha na rede municipal de saúde, informaram que ele não prestou socorro às vítimas e que, após o acidente, continuou arrastando a motocicleta por mais de 200 metros pela avenida Daniel Comboni até próximo à rua dos Seringueiros. Em seguida, mesmo sendo perseguido por vários populares, o suspeito conseguiu empreender fuga.

A condutora da motocicleta sofreu corte no braço, dedo e no quadril. Já a vítima que estava na garupa teve luxações no braço e perna esquerda, sendo elas socorridas por uma equipe do Corpo de Bombeiros até o hospital municipal.

Após o acidente, populares relataram ter visto o suposto médico conduzindo uma caminhonete de cor preta, com a frente totalmente danificada, por várias ruas da cidade. A Polícia Militar foi acionada, mas não localizou o suspeito e tampouco o veículo que teria causado o atropelamento.

Fonte e Fotos: Gazeta Central

Comentários do Facebook

Comentários

Leia também

Campanha vem sendo realizada para translado do corpo de estudante brasileiro que morreu na Bolívia

Amigos do jovem brasileiro Marllon Almeida Campos da Silva, 20 anos, que morreu no último ...

%d blogueiros gostam disto: